h1

O Imperador do Flamengo

19/05/2009

Capítulo 2: engenharias financeiras

O Flamengo teve uma participação lastimável no Campeonato Brasileiro de 1994. Há apenas dois anos, havia sido pentacampeão brasileiro, mas via o bom momento da conquista rapidamente se dissipar perante as dificuldades enfrentadas pelo time no momento. Existia a necessidade de mudança.

E Kléber Leite foi eleito presidente do Flamengo.

Com muito otimismo e fala fácil, logo chegou fazendo promessas de transformar o Flamengo numa grande equipe, trazendo jogadores de nome para vestir a camisa do Mengão.

E trouxe. No início de 1995, o Flamengo contratou Romário junto ao Barcelona. O melhor jogador do mundo iria vestir a camisa do Flamengo.

O passe de Romário custava 5,5 milhões de dólares. Segundo Kléber Leite explicou na época, “um pool de empresas vai pagar o passe do jogador e terá o direito de explorar sua imagem”.

Nascia aí a primeira engenharia financeira da gestão de Kléber Leite. A primeira de uma série que até hoje complica as finanças do Flamengo e afoga o clube em dívidas.

Em 1994 a dívida do Flamengo era de 18 milhões de reais. Em 2009, ela deve passar de R$ 350 milhões.

Isso significa que, mais uma vez, o futebol do Flamengo será afetado por problemas de falta de pagamento. A falta de dinheiro gera formação de dívidas, cujos juros formam uma bola de neve que “amarra” o funcionamento do clube.

A contratação de Adriano, anunciada como a salvação dos problemas do ataque rubro-negro, perigosamente parece repetir esses erros.

Foi anunciado que o alto salário do atacante – acima da realidade do Flamengo – seria pago, em partes, por um patrocinador.

Acontece que o Flamengo não tem patrocinador.

O “patrocinador” seria na verdade a fornecedora de material esportivo OLK, que assume no meio do ano a fabricação de uniformes do Flamengo.

Entretanto, até agora ninguém da OLK se pronunciou confirmando essa versão, além do que ainda falta algum tempo para o contrato com a empresa entrar em vigor.

Boatos dizem que a empresa responsável por bancar parte dos salários de Adriano seria a Traffic.

Além de pagar os salários, a empresa negociaria também os direitos econômicos do atacante, negociando-o com o exterior após a Copa do Mundo de 2010, quando termina seu contrato com o Flamengo.

O que preocupa nessa história é, mais uma vez, a falta de transparência nas negociações.

Mais de 100 jogadores foram negociados pelo Flamengo na gestão Kléber Leite

É exatamente nessa falta de transparência que acontece a maior parte das dívidas geradas pelo Flamengo.

Por causa de contratações malfeitas e manobras financeiras suspeitas, o Flamengo fica sem dinheiro para pagar salários.

Quando a falta de pagamento chega a três meses, o atleta procura a Justiça e se torna credor do Flamengo. Após muitos anos de pendenga jurídica, o resultado é sempre o mesmo: o Flamengo é condenado a pagar uma quantia exorbitante ao atleta.

Durante a gestão de Kléber Leite na presidência do Flamengo, mais de 100 jogadores foram negociados. Quem acompanhou a época lembra do ano começar com inúmeras contratações para o Campeonato Carioca – muitas delas deixando o clube após poucos meses jogando – mais uma penca de contratações para o Campeonato Brasileiro e terminar com um elenco completamente diferente do inicial.

O livre comércio de atletas já não faz mais parte do cotidiano da Gávea, mas ainda existem muitas transferências misteriosas acontecendo dentro do Flamengo. Uma delas diz respeito a contratação de Kléberson, realizada em 2007. Não se sabe se o destinatário correto recebeu a comissão de 250 mil euros (cerca de R$ 760 mil) pela negociação. Ao invés do dinheiro ser depositado numa conta indicada, ele foi parar na conta nº 68044204.0811 no Banco Barclay Ban Suisse, na Suíça, em nome da empresa Deport Marketing, de Londres, cujo correntista não pode ser identificado.

Problemas envolvem a negociação com Kleberson

Problemas envolvem a negociação com Kleberson

Dessa forma, resta apenas ao torcedor rubro-negro que desempenhe seu papel de duas formas: torcendo pelo Imperador desencantar dentro de campo e torcendo para que a contratação de Adriano não se torne apenas mais uma péssima jogada financeira da diretoria do Flamengo que acabou se tornando uma dívida gigantesca.

Afinal, já aprendemos com o melhor do mundo o quanto uma contratação pode pesar futuramente dentro do Flamengo.

Romário disputou 240 jogos pelo clube, marcando 204 gols.

Do pool de empresas que bancaria sua transferência ninguém sabe nada.

Mas Romário segue na folha de pagamento do Flamengo até 2016.

Anúncios

2 comentários

  1. Ô baitola dos infernos!
    Cala essa sua boca de chupar pau! Você só fala merda! Já deu o seu cú hoje, gaúcho filho de uma puta? Deve dar o rabo e ficar gritando “Tchê”.
    Esse time de merda que você torce tem o que para comemorar tanto assim? Dizem que essa tradição dos gaúchos darem o rabo vem da torcida do Internacional, que a cada gol feito, dão o cú em comemoração.


    • Que tal ler o texto INTEIRO dessa vez, com calma, procurando entender o que está escrito?

      Saudações Rubro-Negras.

      Leia também meu post sobre a volta do Adriano e comente.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: