h1

Soneto em homenagem às damas de minha pornografia

11/06/2009

Quão despido é o meu ser

Se tão despidas quero ver

As beleza de ti, assim…

Despidas a fuder

E quão despido quero ser

Assistir tudo mais que vez

Teu corpo e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, ele, e ele, ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele, e ele…

…e ele ser igual a vezes seis

Anúncios

2 comentários

  1. Tu tá falando de pau, né Bitan? Eu sabia.

    (Beu deus…).


    • Hahahahahahahahahahaha



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: