Archive for 5 de novembro de 2009

h1

Café com Leite Podcast – 14a Edição

05/11/2009

Já está no ar a 14a edição do Café com Leite, o podcast do curso de Publicidade e Propaganda da FURB!

Não percam o Concurso Musa do Verão P&P FURB 2010, além de:

– Mais sobre o 15° Talento Universitário

– PRÓpaganda

– Vida de Universitário

– Falta festa no Curso 😦

– Você está preocupado com o preço da gasolina?

– Concurso Musa do verão P&P FURB 2010

– Esporte com Léo Batista

– Rasante pelas colunas sociais com Rick Amorim

– Toca do vinil: Oasis – Stay Young

– Convidados: Professor Diogo Scandolara e o acadêmico Diogo Roedel

h1

Nova canção de Paul McCartney: (I Want To) Come Home

05/11/2009

Canção que Sir Paul compôs especialmente para o novo filme de Robert De Niro, Everybody’s Fine.

h1

Uma grande perda de tempo

05/11/2009

Milhões de torcedores interessados no resultado da partida entre Grêmio e São Paulo ligaram a televisão para acompanhar uma das inúmeras decisões que o Campeonato Brasileiro oferece nessa reta final.

E, para cada um deles, ficou o sentimento de que tudo foi uma grande perda de tempo.

Por mais uma daquelas grandes coincidências, o SPFC foi novamente beneficiado de forma direta pela arbitragem da partida. Pelo segundo jogo consecutivo, um pênalti decisivo, que custaria pontos importantes ao tricolor, deixou de ser marcado.

Mas isso não é o que mais incomoda.

Vamos fazer de conta que isso realmente acontece, que os árbitros são ruins e que também é normal um dirigente tirar os dois principais jogadores de uma equipe justo no jogo contra o São Paulo sem qualquer motivo que justifique o “castigo”.

O que realmente causa estranheza é a postura da imprensa esportiva brasileira.

O time do Flamengo teve quatro pênaltis marcados nas últimas quatro partidas. Estatisticamente, um número impressionante. E analisando cada lance separadamente, ainda mais.

Dessas quatro penalidades máximas, apenas uma de fato pode ser discutida se ocorreu ou não a infração. Nas outras três situações, jogadas forçadas de adversários que contaram com a boa vontade do juiz.

No último sábado, o goleiro Bruno cometeu o maior feito defensivo do Campeonato Brasileiro ao garantir os três pontos de sua equipe e pegar dois pênaltis na partida contra o Santos.

O fato, por si só uma proeza, curiosamente não ocupou lugar de destaque nas pautas de discussão da imprensa.

O que foi exaustivamente discutido era se realmente havia sido cometido pênalti, se o juiz havia acertado. E irritados comentaristas esportivos afirmavam, com todas as letras que sim, muito embora a televisão mostrasse ao contrário.

Por outro lado, na mesma rodada, no “jogo da mala rosa” entre Barueri e SPFC – apesar dessa ser a partida que merecia mais atenção exatamente por sua situação suspeita – a equipe do São Paulo também cometeu um pênalti. Só que não foi marcado.A diferença é que ninguém deu a menor bola, apenas confirmaram que realmente aconteceu e creditaram a não marcação a um singelo “erro” da arbitragem.

Por que os pênaltis do Flamengo merecem toda essa atenção e os do SPFC não?

Será que se o protagonista das duas defesas fosse o aclamado Rogério Ceni o foco ficaria nas faltas ou no crédito merecido do goleiro?

É óbvio que o São Paulo é favorecido. Não por arbitragem, mas por todos aqueles que tem na mão as opiniões do futebol brasileiro.

O SPFC é tratado como um campo neutro dentre os clubes de futebol. Não erra, não peca, não é questionado. Todo o julgamento é feito com medidas diferentes quando quem está na pauta é o tricolor paulista.

O pênalti mal, muito mal ignorado pelo árbitro na partida de ontem mal e mal será mencionado pelos jornais de hoje. Apesar de ter sido o segundo consecutivo.

A regra é clara: contra o São Paulo, ela não se aplica, apenas acontece da melhor forma possível para o tricolor e todos temos que aceitar quietos.

Porque requerer explicações, no futebol brasileiro, é “chororô”. Ninguém tem direito a nada e campeonatos são decididos pelos Edílsons e cartolas esfomeados.

Uma grande perda de tempo.