Archive for 11 de novembro de 2009

h1

Charlie Chaplin’s The Matrix(1929)

11/11/2009
h1

Blog do Titan no Cartola F.C.

11/11/2009

Taí o time do BdT pra rodada que começa hoje.

Ando meio putiado com os resultados recentes. Hoje é binha últiba tentativa de fazer o degócio direitinho.

Se não fizer perto de 100 pontos, vou tomar medidas drásticas.

Vamos lá:

biribiti

Botei um jogador-chave do SPFC, na esperança que meu azar influencie o resultado da partida deles contra o Bitória.

Torçam por bim.

Bitaaaaaaaaan, OUT!!!

h1

Andrade e a supervalorização dos treinadores

11/11/2009

Assim como nos últimos anos, o técnico do Flamengo foi demitido durante a disputa do Campeonato Brasileiro.

E como sempre ocorre nas equipes de grande porte, o auxiliar assumiu o time enquanto a diretoria procurava um nome de peso. A imprensa especulava qual seria o novo treinador rubro-negro.

Sempre que isso acontece, a torcida, acostumada à filosofia megalomaníaca implantada na segunda metade dos anos 90, pede a contratação dos mesmos nomes: Luxemburgo, Muricy Ramalho, Paulo Autuori, Oswaldo de Oliveira, Abel Braga. Esses seriam os melhores treinadores brasileiros – sem contar o inalcançável Felipão – do mercado brasileiro. A esperança é que um grande nome poderia levar o time à grandes conquistas.

Entretanto, não veio nenhum deles. Após algumas rodadas tendo sucesso comandando o escrete do Flamengo interinamente, Andrade foi efetivado como técnico do time de maior torcida no país.

E hoje, faltando apenas quatro jogos para o fim do campeonato, o Flamengo ocupa a terceira posição.

O equívoco do atual cenário do esporte

Mais importante do que tentar entender o que deu certo na aposta da diretoria é procurar o que estava errado.

O atual cenário do futebol brasileiro elevou a categoria de técnico a um patamar incompatível com o verdadeiro exercício da profissão.

Tem técnico por aí – mais exatamente, Vanderlei Luxemburgo – que é tratado por alguns torcedores do Flamengo como se fosse um craque, um jogador camisa 10 de Seleção cuja contratação significa certeza de vitórias.

E como está o Santos de Luxa no campeonato? Aliviado por ter conseguido, na última rodada, os pontos necessários para escapar do rebaixamento.

Luxemburgo, o craque, foi o primeiro superstar do time dos treinadores.

Quando passou pelo Santos em 2006, recebia um salário de 500 mil reais. Fora a exorbitante quantia, ainda era gasto quase o mesmo valor para bancar a comissão técnica que o técnico indicava. 1 milhão de reais apenas para o “professor”.

Para que se entenda bem o universo desses valores, basta dizer que o salário de Adriano, artilheiro do Campeonato Brasileiro, recebe cerca de 350 mil reais por mês, sendo que o clube paga apenas metade desse valor(a outra metade é paga pela OLK).

Qual é o maior reforço para uma equipe, um Adriano artilheiro de R$175 mil ou um Luxemburgo técnico de R$1 milhão?

Pelo Santos, assim como pelo Palmeiras em 2008/2009, Luxemburgo só conseguiu conquistar o título estadual. O mesmo estadual que um treinador do calibre de Ney Franco, por exemplo, venceu com o Flamengo em 2007, custando quase um décimo do ex-técnico do Real Madrid.

É óbvio que por ser o futebol um esporte em que duas equipes se enfrentam num jogo imprevisível, nem sempre a matemática vai imperar, ou seja, muitas vezes quem vai decidir uma partida não é o astro famoso da equipe favorita, mas o reserva anônimo da outra equipe.

Entretanto, existe uma grande diferença entre o acaso do esporte e jogar dinheiro fora.

Mesmo com o curriculo vitorioso de Luxemburgo, mesmo com suas passagens pela Seleção Brasileira e pelo Real Madrid(ambas fracassadas, ressalte-se) o valor de R$ 500 mil para um técnico de futebol é um devaneio longe da realidade do esporte.

Joel Santana e o Flamengo

A história do futebol é cheia de exemplos de que nome não ganha jogo, principalmente o nome do professor.

O Flamengo de 2007 é um dos maiores exemplos recentes dessa verdade.

Quando Ney Franco caiu do comando da equipe, novamente os mesmos nomes entraram em pauta: Luxa, Muricy, Abel, Autuori… e a diretoria trouxe Joel Santana. O mesmo Joel que havia conseguido escapar do rebaixamento com o time rubro-negro em 2005.

A torcida achou ruim, muito ruim. Afinal de contas, Joel não era um técnico de ponta, além de ser famoso retranqueiro e considerado muito folclórico.

O que a paixão do torcedor não conseguiu ver é que talvez Joel Santana fosse o técnico ideal para o Flamengo.

Em 2005, o time tinha jogadores como Hugo, Renato, Diego Souza, Jônatas e Leonardo Moura e se no papel não era uma equipe assim tão ruim, em campo a história era muito diferente. O Flamengo tinha 75% de chances de cair para a Segunda Divisão e apenas nove partidas para disputar quando Joel Santana assumiu a equipe.

Não foram esquemas táticos mirabolantes ou jogadas ousadas que deram ao Flamengo 6 vitórias e 3 empates, escapando do rebaixamento. Foi motivação por parte de Joel e dedicação dos atletas, que entraram na onda do treinador. Para um time de futebol, muitas vezes isso é só o que basta.

Campeonato Brasileiro 2009

O Palmeiras passou por maus bocados na Libertadores e no Brasileirão, até que Luxemburgo fosse demitido. Assumiu o auxiliar, Jorginho. E o time começou a vencer.

Os jogadores gostavam de Jorginho, como deixavam claro nas entrevistas. O Palmeiras embalava. E o melhor: tudo isso a um custo que não dava nem um décimo do gasto milionário de Luxemburgo. Mas o Palmeiras foi atrás de Muricy, que na época diziam querer salário de 700 mil reais.

Hoje, o clube está na ponta da tabela, briga pelo título. Mas não brigaria também com Jorginho? O que acontece é que os dirigentes ficam com medo de não investir em treinadores tarimbados, com medo de que a torcida cobre enfurecida após os fracassos dos “professores” de menor prestígio.

O Flamengo acertou em cheio quando contratou Andrade. E provavelmente o mesmo teria acontecido com Jorginho no Palmeiras.

Claro, Andrade não escapou de muita cornetagem ao perder as primeiras partidas, mas é importante ter a consciência de que futebol é a longo prazo, não resultados imediatos. E Andrade assim se tornou o melhor técnico do Brasileirão 2009.

O Flamengo já teve técnicos de muito prestígio. Mas basta visitar a história do clube para saber que suas maiores conquistas se deram pelas mãos de técnicos de pouco prestígio, muitas delas pelo “da casa” Carlinhos, ignorado por outras torcidas e vencedor como a grande maioria dos técnicos gostaria de ser.

Achar que técnicos de futebol são como jogadores, decisivos para vencer é uma grande bobagem.

Não fosse, Paulo Autuori estaria em primeiro lugar com o Grêmio e o esquecido Ricardo Gomes não teria atingido sucesso aonde o hypado Muricy falhou.

Caso o Flamengo realmente se torne Campeão Brasileiro, poderemos ter uma época de Andrades e Joel Santanas, técnicos que sabem muito de bola e mais ainda de como fazer um time cheio de jogadores mimados fecharem em torno do objetivo mais importante do esporte, a vitória.

Porque um time motivado, com raça, entrega e sangue nos olhos, derruba qualquer esquema tático de Professor Pardal de quinhentos mil reais.