h1

Amarelo rubro-negro

23/11/2009

Qual foi a grande novidade?

O Flamengo, diante de mais uma participação recorde de sua torcida, deixou de ganhar a partida mais fácil da arrancada do segundo turno e jogou no lixo a oportunidade de se tornar o líder do Campeonato Brasileiro.

Entre lembranças da década de 80 e o oba-oba de sempre, mantive minha postura realista e alertei para a memória de outra partida decisiva contra o Goiás: a do Brasileirão de 2008, quando o Flamengo fez 3 a 0, permitiu o empate e ficou de fora da Libertadores.

Pois aconteceu: mais uma vez, o time amarelou.

O Flamengo não merece ser campeão brasileiro. Não quer ser campeão e, enfim, não vai ser campeão brasileiro.

Seria mais fácil o elenco rubro-negro se reunir para entregar a taça ao time do Morumbi. Estes sim, vencedores. Não porque ganham todas as partidas, mas porque quando PRECISAM vencer pra assumir a ponta da tabela, o fazem sem problemas.

O Flamengo tem medo da vitória.

Não existe a vontade real de vencer, aquela que supera qualquer adversidade e consagra as equipes que realmente desejam os três pontos mais do que tudo.

Basta a chance chegar que o time engasga, pipoca, treme na base, fica nervoso. E, sem maior carimônia, o trabalho excelente dos últimos meses vai quase todo pelo ralo, simplesmente porque falta preparo para o time assumir o papel de protagonista. Papel que, diga-se, deveria representar com orgulho e propriedade.

O São Paulo vai atropelar o Goiás.

O Flamengo, com sorte, empata com o Corinthians.

A vaga na Libertadores será sim um belo presente ao grupo dono da melhor campanha do segundo turno. Mas um indigesto prêmio de consolação pra quem chegou tão perto de conquistar o Campeonato após 17 anos de uma longa espera.

Se não tiver um trabalho dentro do clube para mudar essa síndrome de perdedor, ano que vem será cenário de mais um vexame na competição sulamericana, como em 2007 e 2008.

Ou muda ou a diretoria que incorpore oficialmente o amarelo às cores oficiais do uniforme do Flamengo.

Anúncios

One comment

  1. É fera realemente o Fla sentiu a pressão e não conseguiu colocar a mão na taça. Mas dizer que o time amarelou e que era o jogo mais facil foi forçação de barra. O time não se portou bem… o futebol apresentado deixou a desejar. Mas os caras em nenhum momento vieram para jogar bola… baixaram o sarrafo, o juizinho deixou.
    Mas como bom rubro negro, sabemos se que tiver que ser, será. E so será no sufoco, na garra, na raça, na magia de ser rubro negro.
    SRN



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: