h1

Vencedores do Oscar 2010

09/03/2010

Foi uma festa muito legal. Fazia um tempinho que eu não acompanhava a premiação dos Academy Awards e certamente não lembrava o que estava perdendo. Foi jóia.

Bons tempos em que era possível acompanhar pela Sony, sem tradução simultânea. Se tu tem tecla SAP na tua TV, jóia, também consegue assistir com o som original. Como eu não tinha, tive que me contentar com o Rubens Ewald Filho e a outra mulher da transmissão assassinando as piadas da festa. Verdade seja dita, a tal mulher traduzia bem e muito rápido, mas ainda assim fica muito aquém de ouvir o original.

Ainda assim, a transmissão da TNT com o Ewald Filho foi melhor que a da Globo, com o José Wilker. A Rubinho manja muito mais de cinema que o Wilker. Mas qualquer um que surfasse entre os dois canais escolheria mesmo a Rede Globo, pois a transmissão da TNT estava com cerca de 12 segundos de atraso. Tu via o vencedor na Globo e quando botava na TNT ainda não tinham lido o envelope.

Infelizmente não vi o número de abertura, mas Steve Martin e Alec Baldwin estiveram bem apresentado a festa em dupla, apesar do excesso de piadas “não sei quem é” por parte de Martin(aquelas piadas que ele fala da pessoa ou dele mesmo e conclui com “embora não tenham idéia de que eu seja” ou “embora não sei quem eles são”).

Muita gente anda falando um monte de merda em relação a vitória de The Hurt Locker. No Jornal Hoje da Rede Globo os apresentadores falaram, em tom de tiração de sarro, que na vitória de Katherine Bigelow sobre James Cameron a primeira mulher a vencer a categoria de Melhor Diretor havia “se vingado do ex-marido”. De uma babaquice e deselegância sem tamanho, além de rebaixar a talentosa diretora ao papel de amélia desiludida.

Outra cretinice foi na transmissão da TNT quando o vencedor de Melhor Filme Estrangeiro foi anunciado. Rubens Ewald Filho comentou o prêmio a O Segredo dos Seus Olhos como “vitória da Argentina”, dando ênfase ao fato de que “eles” já conquistaram o prêmio antes.

Vamos deixar uma coisa bem clara: cinema não é futebol. Não foi a Argentina – embora o longa representasse sua nacionalidade na categoria – que ganhou o Oscar, foram os produtores do filme. O cinema argentino já era muito bom antes de vencer esse troféu e não vai passar por nenhuma grande alteração na qualidade de seus produtos apenas por ter vencido na noite de ontem. Talvez incentive alguns patrocinadores, mas a indústria do país e sucesso de seu trabalho continuará bom como sempre graças a trabalhos efetivos na área realizados no passado.

Brasileiro não pode ir na onda de que um troféu nessa categoria é “um Oscar para o Brasil” e que, num passe de mágica, irá salvar o cinema nacional.

Em relação aos atores, poucas surpresas. Ou melhor, nenhuma. Dentre os coadjuvantes, Mo’nique venceu por Precious e Cristoph Waltz levou um dos prêmios mais merecidos da noite por seu trabalho brilhante em Bastards.

Jeff Bridges faturou o Oscar de Melhor Ator, numa manobra que não apenas premiou uma performance elogiada pela crítica e tida como a favorita dentre os indicados, mas que também serviu como uma forma de reconhecer todos os serviços prestados pelo ator ao longo de sua carreira. E, claro, de premiar a família Bridges(composta pelos também atores Beau(irmão) e Lloyd “Mandelbaum! Mandelbaum!” Bridges(pai, já falecido).

Por incrível que pareça, Avatar não levou. Justo. Não merecia.

Sim, foi bem dirigido e “revolucionário” – ainda tento entender como o uso de uma tecnologia que foi criada nos anos 30 pode receber tanta pagação de pau – mas pára por aí. The Hurt Locker, segundo a crítica especializada, é um filme melhor executado e de maior qualidade artística.

Sobre o Oscar de Melhor Atriz para Sandra Bullock, apenas deixo uma frase de autoria de Al Pacino: “Não existem grandes atores, existem grandes papéis”.

Confira abaixo a lista de vencedores:

Melhor Filme
Guerra ao Terror de Kathryn Bigelow, Mark Boal, Nicolas Chartier e Greg Shapiro

Melhor Direção
Kathryn Bigelow, Guerra ao Terror

Melhor Atriz
Sandra Bullock, Um Sonho Possível

Melhor Ator
Jeff Bridges, Coração Louco

Melhor Atriz Coadjuvante
Mo’Nique, Preciosa – Uma História de Esperança

Melhor Ator Coadjuvante
Christoph Waltz, Bastardos Inglórios

Melhor Filme Estrangeiro
O Segredo dos Seus Olhos, de Juan José Campanella (Argentina)

Melhor Animação
Up – Altas Aventuras – Pete Docter

Melhor Direção de Arte
Avatar – Rick Carter e Robert Stromberg

Melhor Fotografia
Avatar – Mauro Fiore

Melhor Figurino
The Young Victoria – Sandy Powell

Melhor Montagem
Guerra ao Terror – Bob Murawski e Chris Innis

Melhor Maquiagem
Star Trek – Barney Burman, Mindy Hall e Joel Harlow

Melhor Trilha Sonora
Up – Altas Aventuras – Michael Giacchino

Melhor Canção Original
The Weary Kind, Coração Louco – Ryan Bingham e T Bone Burnett

Melhor Roteiro Original
Guerra ao Terror – Mark Boal

Melhor Roteiro Adaptado
Preciosa – Uma História de Esperança – Geoffrey Fletcher

Melhores Efeitos Visuais
Avatar – Joe Letteri, Stephen Rosenbaum, Richard Baneham e Andrew R. Jones

Melhor Edição de Som
Guerra ao Terror – Paul N.J. Ottosson

Melhor Mixagem de Som
Guerra ao Terror – Paul N.J. Ottosson e Ray Beckett

Melhor Documentário
The Cove – Louie Psihoyos e Fisher Stevens

Melhor Documentário em Curta-Metragem
Music by Prudence – Roger Ross Williams e Elinor Burkett

Melhor Curta-Metragem
The New Tenants – Joachim Back e Tivi Magnusson

Melhor Curta-Metragem de Animação
Logorama – Nicolas Schmerkin

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: