Archive for 16 de março de 2010

h1

Que Deus perdoe essas pessoas ruins – parte 5

16/03/2010

Depois de anos de escola acessando a internet, é difiícil encontrar entre toda a liberdade de opinião oferecida pela segurança dos blogs algum texto que te faça perder a paciência de verdade.

No dia de hoje(16/03) tive a infelicidade de ler um texto que não apenas me fez perder a paciência, mas que realmente me ofendeu. Passar raiva com comentários mal-educados e até opiniões bem argumentadas já havia acontecido. Mas me sentir ofendido, em nível pessoal, foi a primeira vez.

O autor da façanha foi Marco Aurélio d’Eça, um cidadão do qual nunca tinha ouvido falar – e daquele pior tipo de torcedor(nesse caso do Vasco da Gama) – mas que tem acima de seu espaço na internet o cabeçalho da globo.com, o que só deixa a situação, a meu ver, muito pior.

O texto em questão se chama “O Flamengo parece um antro de marginais…” e nele estão expressas, da pior forma possível, as percepções do senhor Marco sobre os recentes episódios, digamos assim, ocorridos recentemente envolvendo jogadores do Clube de Regatas do Flamengo. Por exemplo:

O centro-avante Adriano é um cachaceiro marginal e descontrolado, protegido pela mídia flamenguista e financiada por quem quer vê-lo na Copa.

Chamo atenção para o termo “mídia flamenguista”, um termo das arquibancadas, da rivalidade burra, que simplesmente mostra o tamanho do recalque, do despreparo e de competência do autor. Um termo de comunidade do Vasco no orkut.

Aliás, todos os textos do página são de uma raiva explícita, acima da razão e do profissionalismo, em cima do Clube de Regatas do Flamengo.

Vale destacar a incoerência que é falar da Rede Globo como aliada do Flamengo tendo “globo.com” acima de seu espaço. Um grande exemplo de caráter dessa pessoa.

E o texto vai mais longe:

Wagner Love é marginal mesmo, destes que participam de festas de partilhas de roubo com traficantes e acham normal a convivência.

O goleiro Bruno se revela um marido brutamontes, agressor de mulher e farrista inveterado.”

Quanto ao goleiro Bruno… bem, talvez a descrição tenha sido de certa forma acertada, embora grosseira. Agora, a parte que fala sobre a participação de Vagner Love em “festas de partilhas de roubo com traficantes” cabia algum tipo de ação legal.

Fica pior:

Até os dirigentes do clube – incluindo a atual presidente – têm o sotaque da gíria malandra carioca, de gente que gosta de bagaceira e festança baixo nível.”

A sentença mais grave. Apenas puro e limpo preconceito. É de admirar que um torcedor do Vasco da Gama, um clube carioca, possa atribuir ao sotaque das pessoas vindas daquela região do Brasil características pejorativas.

Para o autor, o simples fato da Presidente do Flamengo ter nascido no Rio de Janeiro faz com que seja “gente que gosta de bagaceira e festança baixo nível”. Uma forma muito deselegante de tratar uma ex-atleta e criminosa de se tratar um cidadão carioca.

Particularmente, não me senti ofendido com essa passagem, já que sou catarinense. A que realmente me incomodou foi a que fecha o texto:

“Movidos, no mínimo, pela ausência de bom senso, os donos da Choppana, em São Luís, resolveram abrir a casa para acompanhamento compatrilhado de torcidas durante os jogos.

Os vascaínos disseram não à idéia estapafúrdia e procuraram outro local para se concentrar e fazer a festa do futebol.

Porque sabem ganhar e perder com a mesma educação.

Não dá para compartilhar o mesmo espaço em ambientes públicos com flamenguistas – jogadores ou torcedores.

É pedir por agressão…”

É normal que um torcedor do Vasco da Gama, clube que tem como dois de seus maiores ídolos Romário e Edmundo, jogadores conhecidos pelo bom comportamento dentro de campo e famosos bom moços do esporte não tenha conhecimento de que TODAS as torcidas de futebol são violentas, mas brigas entre organizadas de Flamengo e Vasco estiveram na imprensa a semana toda.

Pode parecer um absurdo, mas um clube que revela anjinhos inofensivos como Léo Lima e Souza possui, assim como todos os outros, torcedores que vão aos estádios apenas para brigar. E essas brigas – responsabilidade de ambos os lados – é o que motiva que os grupos assistam aos jogos em locais separados.

Recomendo ao autor do texto que, no dia de um jogo entre Flamengo e Vasco, vista uma camisa do Flamengo e passe pela Torcida Jovem do Vasco. Melhor ainda se for após uma derrota do cruzmaltino para o rubro-negro. Melhor, faço um desafio. Que ele veja com os próprios olhos – ou melhor, sinta nos próprios ossos – como a torcida do Vasco “sabe perder e ganhar com a mesma educação”.

Para encerrar, reproduzo um último trecho do texto que encaminharei para o departamento jurídico do Flamengo. Porque tal afirmação tem que ser provada:

“(…)vários jogadores rubro-negros participam de farras e bebedeiras antes, depois e até durante os jogos do Flamengo.

Nenhum outro time de futebol no Brasil abriga tantos marginais e gente desajustada quanto o Flamengo – marginais no sentido amplo da palavra, aqueles que vivem, por exclusão ou opção, à margem da sociedade organizada. E civilizada.”

O clube pelo qual o autor do texto torce afundou em sua própria pequenice, ergueu a cabeça e trabalhou duro para voltar à Primeira Divisão.

Marco Auréio D’eça, entretanto, está muito longe do que pode ser considerado elite, tanto em postura profissional quanto em caráter pessoal.

* Quem visitar o tópico com o texto dessa pessoa acostumada a ser vice, que não deixe de ver os comentários. As lastimáveis respostas que ele oferece a quem opinou sobre o texto são ainda mais lamentáveis…

Movidos, no mínimo, pela ausência de bom senso, os donos da Choppana, em São Luís, resolveram abrir a casa para acompanhamento compatrilhado de torcidas durante os jogos.

FLAMEN~1Os vascaínos disseram não à idéia estapafúrdia e procuraram outro local para se concentrar e fazer a festa do futebol.

Porque sabem ganhar e perder com a mesma educação.

Não dá para compartilhar o mesmo espaço em ambientes públicos com flamenguistas – jogadores ou torcedores.

É pedir por agressão…

Imagens meramente ilustrativas
Texto modificado às 16h55 por conter agressões injsutas e desnecessárias à torcida do Flamengo. Mantêm-se a opinião apenas em relação aos jogadores. à Torcida, minhas desculpas.

Crise entre presidentes da Assembléia e da Câmara continua rendendo…

ter, 22/12/09
por Marco D’Eca |
categoria Esporte, Parlamentos

Encerrada agora há pouco a última sessão ordinária da Assembléia Legislativa. Com apenas oito deputados presentes, o assunto que rendeu foi a polêmica entre os presidentes da Assembléia, Marcelo Tavares (PSB), e da Câmara, Isaias Pereirinha (PSL), sobre a doação do antigo prédio do legislativo estadual, na rua do Egito, ao Tribunal de Justiça.

Marcelo Tavares insiste na informação de que Pererinha não demonstrou interesse na doação do prédio para a Câmara e, quando, manifestou, queria todo reformado e mobiliado.

– Ele chegou a dizer que queria, realmente, mas queria todo mobiliado e decorado. Aí não dava pra fazer – disse Tavares.

Em discurso na tribuna, o deputado Alberto Franco (PSDB) atacou duramente o presidente da Câmara. segundo ele, Pereriinha quer o prédio para dar paraa prefeitura.

A sessão se enerrou com o discurso da depuada Eliziane Gama (PS).

Os deputados se preparam agora para uma sessão especial em que será dada Medalha do Mérito Legislativo ”Manoel Beckman”, ao jogador de futebol maranhense Kléber Pereira.

A honraria foi concedida a Kléber por iniciativa do deputado Rubens Pereira Júnior (PCdoB).

Madonna também se apaixonou pela história do Vasco

dom, 13/12/09
por Marco D’Eca |
categoria Esporte

20091209destaqueO presidente Roberto Dinamite lançou terça-feira, dia 8, em uma festa em São Januário, a primeira edição da Revista do Vasco.

A número 1 traz na capa a popstar Madonna segurando o manto sagrado vascaíno, como mostra a foto ao lado.

A cantora americana esteve mês passado no Rio de Janeiro e foi visitar São Januário. Se encantou com a 20091208revistahistória do Vasco da Gama, primeiro clube brasileiro a aceitar negros em seus times, numa atitude contra o preconceito racial vigente, à época, em clubes como Flamengo, Fluminense e botafogo, da elite carioca.

Madonna fez questão de posar ao lado da camisa preta e branca do clube campeão brasileiro da série B.

20091212ErasmoCarlosDa festa de lançamento da revista participaram várias outras personalidades, como o ator Bruno Mazzeo e os cantores Fernanda Abreu e Erasmo Carlos.

– O importante é que os dirigentes pensem alto, façam do Vasco uma força do futebol mundial, como são o Barcelona e o Real Madrid. O Estadual não pode ser o objetivo principal, e sim o Brasileirão, no segundo semestre – avaliou o tremendão, que posa com a belíssima camisa negra vascaína.

Em tempo: o novo técnico do Vasco, Vágner Mancini, se apresenta nesta terça-feira em São Januário.

Com informações da NetVasco, site oficial do Vasco da Gama (acesse aqui)

A farsa do hexacampeonato brasileiro do Flamengo…

ter, 08/12/09
por Marco D’Eca |
categoria Esporte

flamengoO Flamengo nunca foi hexacampeão brasileiro. O Flamengo sequer é pentacampeão brasileiro.

O Flamengo é apenas bicampeão brasileiro (1982/83). Na soma total, tem cinco títulos da competição incontestáveis.

Bicampeão, pentacampeão ou hexacampeão são apenas os clubes que vencem este número de vezes, seguidas, uma competição.

No Brasil só há um tricampeão brasileiro, o São Paulo, vencedor de 2006/2007/2008.

Outra farsa envolvendo o Flamengo – com o conluio da grande imprensa esportiva comandada pela Rede Globo –  é a invenção de que ele tem seis títulos do Campeonato Brasileiro.

Farsa rapidamente desmontada com uma simples visita ao site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) que coordena e organiza o futebol brasileiro.

A CBF reconhece como campeão brasileiro de 1987 – título festejado irregularmente pelo Flamengo/Rede Globo – o Sport Recife. (Veja aqui)

Tanto que o Sport Recife foi o representante brasileiro na Libertadores da América de 1988.

O Flamengo ganhou o Brasileirão de 80, 82, 83, 92, e agora este de 2009. O de 1987 é uma invenção criminosa e usurpadora.

E como tal, deve ser desmascarada…

Eleições no Moto Clube e no Flamengo: dois rubro-negros. Duas realidades totalmente distintas…

ter, 01/12/09
por Marco D’Eca |
categoria Esporte

flamengo_ate_o_osso14O Flamengo do Rio de Janeiro e o Moto Club de São Luís se preparam para a sucessão interna. Os dois times vão eleger presidentes nos próximos dias.

Ou pelo menos deveria ser assim.

A realidade de um e de outro mostra exatamente o poço em que se encontra o falido e inexistente  futebol maranhense, mesmo se comparado ao mais falido dentre os grandes centros futebolísticos do país.

A eleição no Flamengo é segunda-feira. Parece campanha de prefeito no Rio de Janeiro. A disputa é intensa, com campanha na rua, outdo0rs, inserções na TV, carros de som…

Há várias chapas querendo o comando do clube, que pode sagrar-se campeão brasileiro pela quinta vez no próximo domingo.

Foto_Cleber_01Já o Moto Clube, coitado, é um rejeitado! Ninguém quer presidir o time.

A eleição para presidente é sábado, mas até agora não apareceu candidato interessado.

A realidade é outra: segunda divisão do futebol maranhense, quarta divisão do futebol brasileiro. Dívidas e mais dívidas, falta de elenco, etc, etc, etc…

A ausência de interessados autenticamente ligados ao futebol só favorece o surgimento de oportunistas –  aliás, como vem ocorrendo nos últimos anos.

Políticos espertalhões ou empresários falidos, falastrões e embusteiros, que vêem os clubes apenas como oportunidades de recuperar suas empresas ou ajudar na cata aos votos.

E ainda há quem insista nesta mentira que é o futebol maranhense…

Agora sou Inter e Palmeiras desde criancinha…

dom, 22/11/09
por Marco D’Eca |
categoria Esporte

escudo-internacional-brasilOs colegas torcedores sempre me dizem que é ruim pro futebol brasileiro que o São Paulo seja tetra-campeão este ano (hepta no total).

Pra mim pouco importa!

Prefiro o São Paulo com 1 milhão de títulos ao Flamengo com meio-título.

Mas, para ser sincero, agora sou mais Internacional e Palmeiras.

Inter, para evitar que um time de São Paulo seja mais uma vez campeão braisileiro.

ESCUDO_DO_PALMEIRAS_SEM_FUNDOPalmeiras, porque, dentre os times paulistas, é o mais odiado pela insuportável e odienta crônica esportiva paulista – o que o torna automaticamente simpático a um assumidamente anti-futebol paulista.

Portanto, nesta reta final do emocionante Brasileirão 2009 – com o Vascão já de volta à Série A, o que é mais importante – sou Colorado e Porco.

Exatamente nesta ordem.

E, de preferência, com o Flamengo fora da zona da Libertadores…

Deputado propõe CPI para apurar irregularidades no futebol maranhense

qua, 21/10/09
por Marco D’Eca |
categoria Esporte, Parlamentos

O deputado Marcos Caldas (PR) apresentou agora há pouco Requerimento propondo a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar irregularidades no futebol maranhense.

Segundo Caldas, o documento já tem 22 assinaturas de parlamentares. São necessárias apenas 14 para a instalação.

– Os escândalos no futebol maranhense ganharam proporção mundial nos últimos dias. Há acusação grave de compra de resultados e de pagamento de propinas a jogadores para que “amolecessem” em campo. E a política acabou envolvida. Por isso, é fundamental colocarmos tudo em pratos limpos – disse Marcos Caldas, em discurso na tribuna da Assembléia.

Marcos Caldas foi um dos primeiros a denunciar a prática de fabricação de resultados no futebol do Maranhão. Ao lado do também deputado Paulo Neto (PHS), ele chamou atenção para que se apurasse estas irregualridades.

As acusações de Paulo Neto contra a prefeita de Chapadinha, Danúbia Cardoso, e contra o ex-prefeito Magno Bacelar – de terem recebido R$ 50 mil para que Viana vencesse o jogo contra o time do município – foi rebatida na tribuna pelo deputado Antonio Bacelar (PV), irmão de Magno Bacelar.

– Esse disse-me-disse não levará a nada. E o corporativismo no futebol impedirá que cheguemos aos culpados. Portanto, é fndamental a instalação de uma CPI – afirmou Marcos Caldas.

Palhaçada do futebol maranhense: foi armação sim! Bobagem usar “suposta” antes da afirmação…

ter, 20/10/09
por Marco D’Eca |

Uma das bobagens tecnicistas do ensino do Jornalismo é o uso de condicionais para tratar de alguns fatos. Termos  como “seria” e “estaria” são crimes contra a objetividade jornalística usados quase que diariamente em jornais, revistas e até em blogs.

Pior: estes crimes são influenciados pelos pseudo-pesquisadores.

Sem relação alguma com o dia-dia da profissão, estes “professores” acabam influenciando jovens estudantes, que chegam às redações sem saber o básico do fazer jornalístico: observar um acontecimento, descrevê-lo claramente e com escrita correta.

A criminosa armação na decisão da Segunda Divisão do futebol maranhense é um exemplo deste purismo desnecessário e castrador.

A imprensa especializada insiste em tratar o episódio como “suposta armação”, assim mesmo, entre aspas, como se dúvidas houvessem quanto ao crime cometido contra o esporte.

Ora, cabe ao jornalista observar e relatar fatos.

E o fato é: os jogadores do Chapadinha abriram o jogo para o time do Viana ganhar de 11 a 0 e tirar a classificação do Moto Clube para a primeira divisão.

Está claro nas imagens, está claro a quem assistiu à partida. E os jornalistas, pelo menos os especialziados, assistiram à partida.

Se não conseguem ver o óbvio, então não são jornalistas.

Simples assim…

“ladrão que rouba ladrão…”

seg, 19/10/09
por Marco D’Eca |
categoria Esporte

Abaixo, trechos do post “O leitor que escolha o melhor adágio”, do colega blogueiro Louremar Fernandes (leia aqui). Uma crítica ao comportamento da imprensa na cobertura do escândalo do futebol maranhense e à rede de proteção montada em favor do Moto Clube:

“Boa parte da imprensa do Estado fez uma  extraordinária descoberta: o futebol maranhense é uma bagunça. A razão dessa descoberta foi  a goleada de 11 a zero aplicada pelo Esporte Clube Viana no Chapadinha, o Galo da Chapada. (…)

Na verdade as manchetes de sites e blogs, não conseguiam exprimir a realidade.  O bom senso não permitiu aos redatores escrever a verdade que os atordoava.  Alguém  pode ter tido vontade de escrever: Moto se dá mal na armação pra voltar à 1ª Divisão. Ou ainda: Inédito. Interioranos armam pra cima de um time da capital.

Podem ter  tido vontade, mas o bom senso não permitiu.

Então a solução foi apresentar o episódio como algo nunca imaginado ou ocorrido nos campeonatos maranhenses. Venderam a notícia como se todo mundo estivesse indignado. Alberto Ferreria, eterno presidente da Federação Maranhense, passou a ser um baluarte da moral, um verdadeiro paladino. (…)

A indignação tomou conta de todos. Como pode? O Moto Clube, cuja torcida elege vereadores, deputados, continuar na segunda divisão? Como alguém ousou contrariar tantos interesses? Como pode o Moto ter feito tudo “certinho” até anteciparam a disputa da 2ª Divisão (o certo seria ocorrer em 2010) só  pra beneficiar o time. No ultimo jogo marcou gols que  se somados, talvez superem aqueles que fez durante todo o torneio. Como pode?  A Federaçao Maranhense e seus cartolas, foram ludibriados. Algo inimaginável. (…)

O problema é não sermos complacentes em vender a imagem de que esse episódio encerra  o único absurdo no futebol maranhense.

Ou seria demais questionarmos como é possível ao time do Moto, que mal ganhava as partidas de repente vencer por 5 a 1?

Seria demais questionarmos a  presença do prefeito  Manin Leal, de 50 anos, posando como atleta do time que perdeu para o Moto? Seria demais dizer que o Moto clube protelou sua entrada em campo esperando para saber do resultado do jogo do Viana?

O certo é que o futebol maranhense tem algo de novo. Gente mais esperta do que os tradicionais espertalhões.

O Moto Clube, em que pese o respeito pelos torcedores, merece o que está passando. Afinal, não há o que dizer de uma equipe que consegue cair para a segunda divisão de um futebol medíocre e desorganizado como o maranhense.

O procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmidtt, disse que a partida pode ser anulada. Os jogadores podem ir a julgamento. Onde estava mesmo o senhor procurador nos momentos em que a tabela do certame maranhense foi reinventada, com jogos marcados em cima da hora?

Ah, o adágio. Pensei em muitos títulos para o Post.  Mas listo alguns adágios populares que talvez  exprimam melhor a realidade e que deixo por conta dos leitores:

‘Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão’;

ou ‘Aqui se faz, aqui se paga’…”

Lambança do futebol maranhense tem repercussão também no exterior

sex, 16/10/09
por Marco D’Eca |
categoria Esporte

A marmelada do falido e desacreditado futebol maranhense, protagonizada por Moto Clube, Chapadinha, Viana e Santa Quitéria, teve repercussão não apenas no Brasil nesta sexta-feira.

De acordo com o blog do jornalista Zeca Soares, a armação foi destaque na primeira página do principal site de esportes da Argentina, o “Olé”.

Acesse no blog de Zeca o vídeo que correu o mundo

O quadrangular fajuto inventado como Segunda Divisão para ajudar o Moto a voltar à Primeira Divisão no mesmo ano em que foi rebaixado, acabou de forma melancólica, ridícula e criminosa: para se classificar, o time rubro negro precisava vencer de cinco. Conseguiu, mas o outro jogo, Viana e Chapadinha, acabou de 11 a zero para os vianenses, o que provocou a permanência do time de São Luís na segundona.

Desde ontem o assunto é destaque nos principais jornais e sites esportivos do Brasil, que, no mínimo ridicularizaram o futebol maranhense.

Em São Luís, há uma tentativa de amenizar a situação do Moto Clube, fazendo de conta não ter havido marmelada também em seu resultado, mas há quem cobre punição para todos.

A Confederação Brasileira de Futebol aindanão se pronunciou sobre a lambança, mas deve haver punição para dirigentes, clubes e até para jogadores.