h1

E o Bruno Paulo foi pro Palmeiras

30/03/2010

O episódio chato e ridículo envolvendo o Flamengo e a revelação da base Bruno Paulo chegou a seu ponto mais final na tarde de ontem.

O jogador apresentou-se ao Palmeiras, clube por onde desfilará seu futebol até que seu empresário decida que sua não utilização pelo time do Parque Antártica é obra da malvada comissão técnica, e não das atuações do jogador.

A chegada de Bruno Paulo rendeu uma reportagem no portal Terra informando que o “novo Ronaldinho” chegava ao Palmeiras. Me deu pena. O torcedor do Verdão que for um pouco mais afobado vai achar que o plantel de sua equipe comprou uma nova revelação dos fornos de jovens craques do Brasil. Longe disso.

O “apelido” é por causa apenas de uma suposta semelhança com o ex-craque ex-Barcelona hoje no Milan. O Palmeias comprou apenas a feiúra do Gaúcho. Pelo talento, ainda vai ter que ir atrás. Uma contratação cheia de questionamentos. E vamos começar pelas mais pertinentes ao presente momento.

Mas quem é Bruno Paulo? Por que estou escrevendo esse texto? O que será que vai ter de almoço hoje?

Bruno Paulo é um atacante de 19 anos que subiu aos profissionais do Flamengo no ano passado. No primeiro semestre, disputou a Copa São Paulo. No segundo, foi Campeão Brasileiro. Mas sua história é um pouco mais complexa.

No torneio de juniores, Bruno Paulo foi titular do ataque rubro-negro. O time não foi bem na competição. Perdeu para o Fortaleza por 5 a 4 e não conseguiu sequer se classificar paras as oitavas de final da Copinha. Poucos jogadores conseguiram se salvar do fiasco. Bruno Paulo não era um deles.

Outros garotos daquele time, como Jorbison, Guilherme Camacho e Rafael Galhardo subiram aos profissionais, enquanto Bruno Paulo ainda disputava torneios de categorias inferiores.

O fator decisivo para a transferência de Bruno Paulo para o Palmeiras ocorreu no dia 22 de julho de 2009. O jovem atacante foi convocado pelo técnico Cuca a integrar o banco de reservas dos profissionais do Flamengo na partida contra o Barueri.

Um prêmio já esperado pelas grandes atuações do jogador? Nem tanto.

O Flamengo entrou em campo com um ataque formado por Adriano e Emerson. Fora os dois jogadores, o Flamengo não contava com nenhum outro jogador da posição no elenco.

Além disso, o técnico Cuca, a essa altura já bastante desgastado com os jogadores do clube, pretendia promover uma mudança geral no time do Flamengo, se livrando de antigos medalhões como Léo Moura e Juan e formando a equipe com jogadores formados na base(Camacho, o zagueiro Marlon, o meia Erick Flores e Jorbison também atuaram nessa partida).

O plano deu errado, Cuca foi demitido, mas o Flamengo continuou com poucas opções para o ataque. E Bruno Paulo voltou a compor banco em outras oportunidades.

Jogou quatro partidas pelo Flamengo. No geral, teve boas atuações. Na realidade, o grande feito de sua performance foi não ter comprometido. Mostrou alguma personalidade e segurou a barra. Seu grande momento pelos profissionais do Flamengo foi o cruzamento que terminou no gol contra de Pará na vitória de 2 a 1 contra o Santos. Não marcou nenhum gol.

Depois desse período de “glória”, com seu contrato chegando ao fim, a diretoria precisava renovar o acordo. Em pouco tempo a lei já permitiria que negociasse com outras equipes. Mas não foi simples.

O empresário do jogador, Carlos Leite – aquele que manda e desmanda em Vasco e Corinthians – se reuniu com a diretoria do Flamengo para acertar valores. E pediu uma quantia astronômica de reais.

O Flamengo é bastante conhecido por pagar fortunas a jogadores de certo nome, mesmo quando não possuem lá muita qualidade, mas em relação a atletas menos conhecidos ou subidos da base, a política é clara: paga-se pouco. Ou melhor, paga-se o justo a um jogador que ainda deve provar que tem condições de vestir o Manto.

Os valores especulados na época apontavam que a oferta do Flamengo seria algo em torno de 20 a 35 mil reais, enquanto a quantia pedida por Leite passava dos 90 mil.

É uma prática muito comum para empresários exploradores: aproveitar o “bom momento” – no caso, quatro partidas sem gol – e o encerramento do contrato para forçar ou um aumento exagerado ou uma transferência para um clube de ponta doido para ter em mãos o novo Ronaldinho do Flamengo.

Felizmente, o Rubro-Negro não cedeu. E, infelizmente para os palmeirenses, o clube paulista engoliu o peixe.

Respondidos esses questionamentos básicos, sobram mais alguns. O Palmeiras acertou na contratação?

Não.

Vai dar certo?

Olha, o futebol é imprevisível. Acontece do terceiro reserva da base virar jogador de Seleção, então não dá pra afirmar assim com tanta antecedência se vai dar certo. Mas não vai.

Ele é mesmo bom jogador?

Talvez pro Barueri…

E o que vai ter pro almoço hoje?

Ainda não sei o que vou comer aqui em casa. O que tu vai comer na tua, não me interessa. Assim como, encerrado esse post, não me interessa a história de Bruno Paulo no Palmeiras.

Anúncios

One comment

  1. Realmente vi que vc nunca acompanhou a base do Flamengo, Bruno Paulo sempre foi visto com grande potencial, errado foi a diretoria que nao teve exito na renovaçao.

    a carreira dele ja andou e a do jorbison (juniores ainda), galhardo (juniores ainda) e erick flores (ceara)???

    Acho que vc precisa ir mais na gavea ver uns jogos da base.

    sabe nadaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    Fernando Silva: o tempo dirá o que eu sei ou não.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: