h1

Estados Unidos 1 x 0 Argélia

23/06/2010

Enquanto a Inglaterra vencia por um gol e os eslovenos davam risinhos baixos sussurrando “ah, como é bom estar classificado” os Estados Unidos de Landon Donovan marcavam um gol dramático no final do jogo contra a Argélia e ficavam, de fato, com a vaga para as oitavas de final.

Nesse caso, como em poucas vezes no futebol, foi feita justiça. Os americanos já deveriam estar com a vaga em mãos desde a segunda rodada, quando marcaram o terceiro gol contra a Eslovênia e tiveram que engolir a anulação do árbitro do tento que fecharia com chave de outro a mais emocionante partida da Copa do Mundo até agora.

Pouca gente está prestando atenção na campanha dos Estados Unidos, mas a pequena coleção de resultados dramáticos conquistados na raça é algo realmente impressionante.

Mesmo o jogo contra a Inglaterra, que pode ser considerado o mais convencional – aquele, do frango histórico do goleiro Green – teve uma alta dose de emoção. Talvez não emoção propriamente definida, mas superação, sem dúvida.

Aí parece que se tornou praxe os Estados Unidos buscarem a glória na adversidade. Da quase virada até a classificação dramática conquistada hoje, o torcedor norte-americano que realmente gosta de futebol tem desfrutado de um Mundial inesquecível. Um bom momento para torcer para os EUA, principalmente se a gente levar em consideração que eles provavelmente serão eliminados nas oitavas de final.

Entretanto, em matéria de futebol, tecnicamente falando, não dá pra dizer que é aquela coisa maravilhosa, de encher os olhos. Mas os EUA têm jogadores muito bons. Eu gosto daquele volante carequinha que é filho do técnico. Bom de bola.

E a estrela maior da equipe é mesmo o Donovan. Do golaço contra a Eslovênia ao tento que assegurou a vaga na partida de hoje, comprovou-se o que todo mundo já vinha falando: trata-se do jogador mais talentoso do time americano.

Donovan, o Thunderbird da Copa, tem mostrado algo a mais além do bom futebol dentro de campo: a marra dos grandes jogadores. E não é de hoje não. Ele é meio estrelinha, e chegou até a criar um desnecessário desentendimento com David Beckham, seu colegal de LA Galaxy, por conta de ter falado mal gratuitamente do jogador inglês em uma entrevista, no ano passado.

Aliás, não sei se perceberam, mas eu tentei inventar um apelido pro Donovan quando me referi a ele como “Thunderbird”. Batizei dessa forma por conta de sua semelhança com aqueles bonecos do velho seriado inglês que passava acho que na Manchete.

No início eu estava dividido entre “Thunderbird” e “Arrogant Latin Hater American Bastard Who Thinks He’s a Big Shot But Can’t Even Play Outside That Crappy MLS Shit”, mas fiquei mesmo com a primeira opção porque, apesar de não definir a personalidade do Donovan tanto como a segunda, permite que a gente tire uma palha da cara dele.

E é graças a Landon Donovan – o Thunderbird – que minha Segunda Nação avança para as oitavas de final.

E delas, não passará…

Anúncios

One comment

  1. queeeeeeeeeeeeeeeeeee jogo horrivellllllllllllllllll



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: