h1

Alemanha 4 x 0 Argentina

03/07/2010

HAHAHAHAHAHAH CHUUUUUUUPAAAAAA PÓRADONAAAA!! HAHAHAHAHAHAHA

Não que não fosse esperado, afinal de contas, nós aqui do Blog do Titan que sabemos tudo de bola e não nos deixamos enganar por pagação de pau sem fundamento, já sabíamos.

A Alemanha DESTRUIU a Argentina numa partida humilhante, um massacre vergonhoso que espero ter sido o ponto final na babação de ovo pra cima de time de gringo que sempre acontece em Copa do Mundo.

Cadê o “melhor de todos os tempos”? Argentino falava tanto nisso, inclusive os jogadores… mas não lembro de ter visto o Pelé em campo, acho que andei ouvindo coisas.

E falando em “melhor”, acho que vou começar a assistir aos jogos do Barcelona pra ver aquele tal de Messi. Dizem que o cara é desumano, joga demais e faz gols a rodo. Deve ser melhor que esse outro Messi aí que tem na Argentina, que não fez nenhum golzinho na Copa e que não jogou picas na partida de hoje.

A Alemanha transformou a Argentina em pó e fez o Maradona cheirar, digo, chorar.

Uma verdadeira atuação de gala em que ficou provado não apenas a força da espetacular equipe germânica, mas o quanto o time de Póradona era uma Seleção cheia de defeitos, mascarados por boas atuações contra adversários de expressividade quase nula.

Juntou-se a isso o oba-oba – principalmente no Brasil – em cima de Tevez, Messi e da figura caricaturesca de Maradona e estava criada a farsa. A farsa Argetina que o futebol alemão tratou de escurraçar, de quatro, de volta ao país do chorizo.

Eu admito, torci muito contra e fiquei muito feliz.

Mesmo morando em Blumenau, uma cidade de colonizacão alemã, que preza pela manutenção de tradições germânicas como os grupos de Stammtisch e a anual Oktoberfest, nunca me senti compelido a torcer pela Alemanha em Copas do Mundo, Eurocopas ou qualquer outra situação. Mas esse fato pitoresco, assumo, aumentou ainda mais minha alegria.

Imagino toda aquela turma que foi até o Parque Vila Germânica – seja para torcer para a Alemanha, secar a Argentina ou apenas aparecer na Globo – comemorando os quatro gols, mandando ver no chope e transformando a manhã de sábado em – mais uma! – Oktober fora de época. Lindo demais! E tem nego que teima em não gostar da Copa, vai entender…

Özil: "Gringo não passa, mermão!"

Özil, o Baiano de Tropa de Elite, teve mais uma grande atuação e não seria injusto coroá-lo com o prêmio de Melhor Jogador da Copa.

Baiano, após levar um tiro de 12 na cara , abandonou os morros do Rio de Janeiro e se mudou para a Alemaha, aonde deixou o crime de lado e se tornou jogador de futebol.

Ficou conhecido como Özil, que em alemão significa “Redimido nascido na Bahia” e hoje só mata adversários dentro dos campos de futebol, como fez na manhã de hoje contra a Argentina.

Mas a festa não foi só do Baiano, não. Quem brilhou mesmo foram os atacantes Miroslav Klose, que marcou duas vezes, alcançando a marca de 14 gols em Copa do Mundo – o que lhe deixa em segundo como maior artilheiro da história da competição, um tento atrás de Ronaldo – e Müller, que marcou o mais rápido da Copa do Mundo e alcançou a artilharia, com quatro gols.

E, cara, como foi fácil.

Quando o placar apontava 3 a 0, os alemães chegaram ao ponto de voluntariamente frearem um contra-golpe mortal que anunciava mais um gol quando, num lance que causou vergonha alheia e embaraço a quem assistia a partida, calmamente diminuíram o ritmo, seguraram a bola e tentaram tocar com calma no ataque, até que ela fosse mandada para fora do campo para que uma substituição fosse realizada.

Agora, pode entrar no mérito aquela velha discussão: vale alguma coisa comemorar eliminação de rival? Não é um consolo insignificante perto de uma eliminação? Não é gozar com o pau dos outros?

Não, de jeito nenhum. Existe todo um contexto a ser respeitado nesse caso.

Quem apoiou a equipe de Dunga, principalmente os que o fizeram porque acreditavam nos resultados conquistados pelo seu Brasil nos últimos quatro anos, tiveram que aguentar, desde o início da Copa, a turma paga pau de gringo buzinando em mais alto volume que o de uma vuvuzela o quanto a Argentina do Póradona era a melhor.

Ignoravam que a mesma Argentina era tão ruim que quase ficou de fora da Copa, ignoravam que a mesma Argentina tinha levado sucessivas surras do Brasil, ignoravam que a mesma Argentina havia caído no grupo mais moleza da Copa. Apenas se encheram de cegueira, caíram na pilha dos “especialistas” da imprensa esportiva brasileira – que, na sua prepotência de donos da verdade também acabam cegos – e não conseguiram enxergar o óbvio:

A Argentina não era uma grande equipe de futebol.

O sistema defensivo era pavoroso. Mascherano, sozinho, não dava conta de segurar a marcação do meio-campo, enquanto Tevez e Messi ficavam perdidos lá na frente, dependendo apenas do talento individual, num ataque que não possuía força coletiva, para tentar marcar gols.

Os que tanto exaltaram a convocação de seis atacantes por parte de Maradona, finalmente devem ter entendido o que eu quis dizer quando avaliei a jogada como burrice, já que todos não podem jogar ao mesmo tempo e uma partida de futebol muito raramente exige apenas mudanças ofensivas em seu andamento.

A derrota do Brasil foi uma grande tristeza, como havia muito o futebol de Seleções não fazia sentir. Mas, na mesma proporção, a eliminação bambina foi só alegria.

E não existe, em qualquer situação, alegria maior do que a confirmação de que, o tempo todo, você estava coberto de razão.

Anúncios

2 comentários

  1. Verdade,você estava coberto de razão.
    Quando falou que Dunga estava certo ao levar nulidades para copa e deixar ganso e ronaldinho em casa.
    Ao afirmar que a Alemanha após perder para a Servia era um time de merda e “modinha”
    Ao Classificar a Espanha como “ridicula”
    Enfim você sempre esteve certo
    parabens

    Fernando Silva: obrigado. 🙂

    Ah, mas sobre a Argentina eu estava certo… e sobre não levar Ronaldinho e Ganso… com o time todo jogando mal e desesperado não é o Pipoquinho Gaúcho e um muleque peidão que desequilibrariam a partida, qualé…

    Do resto, tenho que dar o braço a torcer e admitir que errei. Mas ainda acho que o Brasil – o do primeiro tempo contra a Holanda – despachava a Espanha fácil, fácil…


  2. Não acho que o Ronaldinho seja pipoqueiro,respeito sua opinião mas se formos pensar bem,qual foi o jogo mais importante da copa de 2002?Contra a Inglaterra,que era muito favorita e quando o Brasil tomou 1×0 reagiu com 1 assistencia e um golaaaaaço dele.Em 2006 ele fracassou sim mas acho que dps de uma bela temporada pelo milan e mais maduro acho que não iria pipocar.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: